!!! DESTAQUE DE LA SEMANA !!!

destaque

EVO MORALES ASUME PRESIDENCIA DEL G77 + CHINA.

Evo Morales assume presidência do G-77

Por: Da Redação em 09/01/2014 18:57:27

Evo Morales, assumiu na quarta-feira (8/01) a liderança do Grupo dos 77 (G-77), bloco que reúne 133 países em vias de desenvolvimento e a China. É o maior grupo de países em desenvolvimento das Nações Unidas.



Presidente Evo Morales confía en los mandatarios del G77+China‬
Publicado em 08/01/2014
Al asumir la Presidencia Pro Tempore 2014 del Grupo de los 77 más China (G77 + China), el presidente boliviano Evo Morales manifestó su confianza en los gobiernos de ese bloque de países y concluyó que, debido a eso, su propuesta para privilegiar los intereses sociales por encima de los intereses particulares será bien recibida. teleSUR.













O presidente da Bolívia, recebeu em Nova York o comando do grupo, diretamente das mãos do ministro das Relações exteriores de Fiji, Ratu Inoke Kubuabola, em uma cerimônia acompanhada pelo secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon.

Em declaração o líder latino afirmou: "Para o povo boliviano, o 8 de janeiro de 2014 é um dia histórico e inédito, por termos recebido a honra de presidir e coordenar o G-77 neste ano", o discurso foi feito durante a celebração, realizada no salão do Conselho Econômico e Social das Nações Unidas (Ecosoc). O G-77 é o maior grupo de países em desenvolvimento das Nações Unidas e tem como objetivo promover a cooperação das nações do hemisfério sul. 























O mandatário boliviano assegurou que a planta tinha sido vítima da má propaganda

Bolívia destacará a importância da folha de coca no Grupo dos 77 (G77), onde ele assumirá a presidência em 2014 (cada gestão equivale a um ano), o presidente boliviano, Evo Morales, assegurou a pauta na terça-feira durante um evento em região cocalera – área de plantio da coca.

"Estou pensando propor ao G 77, junto com a China, que entendam sobre a importância da folha de coca, temos esses espaços para dizer nossa verdade, e não estar alterando a verdade como fizeram tantos anos", afirmou Morais, líder dos ‘cosechadores’ coletores de coca.

O mandatário do país andino anunciou na segunda-feira que a Bolívia assumirá em 8 de janeiro, na cidade de Nova York, a presidência temporária do G77, anteriormente a cargo de Fiji.

Morales colocou que a milenar planta, consumida na Bolívia desde tempos milenares seja mascando, infusões e rituais religiosos, foi vítima de uma má propaganda das nações industrializadas e que agora sua meta é limpar, modificar essa percepção. Ele assinalou que "desde as décadas 40 e 50 inventaram o tema da cocaína (que tem à planta como matéria prima), para satanizar a coca e em 1961 se penalizou a folha de coca, com o fim de erradicar nossa identidade".

             





        






























Nessa linha, Morales, destacou a decisão de Bolívia de levar essa demanda à Convenção de Viena sobre drogas de 1961 que penalizava os usos tradicionais andinos. Bolívia retornou neste ano ao acordo internacional, objetando essa proibição. O governante declarou que "a próxima batalha é como retirar a folha de coca da lista de estupefacientes (das NNUU) para que depois possamos exportar a folha de coca, estamos avançando muito bem com os países do ALBA", para o comércio da milenar planta.

Bolívia tem um acordo com Equador para vender-lhe coca com fins terapêuticos e medicinais, ainda sem materializado. O presidente também reconheceu que autoridades de outros países, como um ex chanceler do Paraguai, a quem não identificou, levam folhas de coca em mala diplomática, para evitar o controle ou a revista. Segundo o mandatário, mascar a coca regula a diabete ou a pressão arterial alta, entre outros males.

A Bolívia conta, segundo dados das Nações Unidas, com 25.300 hectares de cultivos de coca, ainda que uma lei da década do 80 autorize até 12.000 hectares para usos legais. O país é o terceiro produtor mundial de coca e cocaína, depois de Peru e Colômbia, segundo a ONU.

Bolívia foi escolhida em novembro para liderar o G77

A Bolívia foi escolhida para liderar o bloco em novembro do ano passado, com apoio chinês. Evo Morales informou que terá “muito trabalho” à frente do G77 e que planeja estabelecer uma “nova agenda pela humanidade e pela dignidade dos habitantes do mundo”. Morales também anunciou que pretende realizar uma cúpula do bloco na Bolívia neste ano.

Criado em 1964, o grupo que representa os países em vias de desenvolvimento está completando 50 anos. Quando o bloco foi fundado, seus membros eram 77 países – hoje são 133, o que representa dois terços dos membros da Organização das Nações Unidas (ONU) e cerca de 60% da população mundial. Anualmente, o G77 reúne seus chanceleres em Nova York.
Fonte: 
Bolívia Cultural 

0 comentários: